Tendências Newsletter – Junho de 2021

PARA LER

Banco Central avança em sua agenda de inovações no sistema financeiro

Com uma agenda de modernização regulatória bastante ativa e de longa data, o Banco Central vem usando a tecnologia como instrumento para aumentar a disponibilidade de produtos e serviços financeiros mais ajustados às necessidades dos consumidores de forma ágil e segura, favorecendo a inclusão financeira da população. Nesse sentido, nos dias 22 e 23 de junho, a sócia da Tendências, Fabiana Tito, por meio do Instituto Brasileiro de Estudos de Concorrência, Consumo e Comércio Internacional (IBRAC), promoveu uma importante discussão sobre regulação e concorrência no sistema financeiro nacional, através do evento “Open Banking e Meios de Pagamento Instantâneos: avanços e desafios na agenda regulatória do Banco Central”. (Leia mais)

PARA LER

Questões econômicas envolvendo desvios na agenda ESG

Há um crescente interesse por parte dos agentes de mercado em questões envolvendo aspectos ESG, ou seja, temas relacionados a meio ambiente, sociedade e governança no ambiente corporativo. Nesse sentido, as empresas se preocupam em evitar ou mesmo mitigar riscos de escândalos, a fim de preservar seus posicionamentos de mercado e marca perante seus investidores, consumidores e funcionários. Uma das formas de se fazer isso é contando com a racionalidade econômica na tomada de decisão a partir da incorporação dos critérios ESG. A Tendências é frequentemente acionada para atuar apoiando a tomada de decisão das companhias nos mais diversos contextos. (Leia mais)

PARA LER

Federalismo e investimento estrangeiro direto comercial

O analista da Tendências, Leonardo Palhuca, é coautor do artigo “Federalism and Foreign Direct Investment – An Empirical Analysis”, que foi publicado como Working Paper pelo CESifo, uma rede de pesquisa independente com membros do mundo todo. No trabalho, ele e os economistas Lars Feld, Ekkehard A. Köhler e Christoph A. Schaltegger apontam que, em um arranjo federal no qual os entes subnacionais são capazes de estabelecer tanto a base de cálculo quanto a alíquota de impostos, a atratividade do investimento estrangeiro direto é maior. A competição entre os entes federativos e o comprometimento de não elevação de impostos após a realização dos investimentos são os mecanismos que atraem capital estrangeiro. (Saiba mais)

Projeções 2021 2022
Juros (Selic)
6,5%
6,5%
Câmbio (R$/US$)
5,20
5,40
Inflação (IPCA)
5,8%
3,9%
PIB
4,4%
2,2%
Taxa de desemprego
14,0%
13,7%
Massa de renda
2,0%
6,0%

Acompanhe as nossas redes sociais:

Caso queira receber a newsletter mensal da Tendências por e-mail, cadastre-se aqui.

Acesse todos os serviços e produtos

Faça seu login